Ajudando os nossos membros




Ajudando os nossos membros

Assim como os bebês naturais inspiram cuidados e atenção, assim são também os bebês espirituais. Eles precisam ser até mesmo mimados, quando preciso. Faz parte do processo de crescimento e amadurecimento. Eu tinha um irmão na igreja que veio a se tornar um grande obreiro, mas não foi assim tão simples. Ele ficava reclamando que ninguém o visitava, e porque a igreja não o visitava, ele também não ia para a igreja no domingo. Aí alguém ia lá fazer uma visita, e no próximo domingo ele estava de novo na igreja. Só que nossa igreja era muito pequena, e eu é que fazia tudo. Mas eu comecei a equipar o meu povo.

Um dia eu fui lá com aquele irmão, e disse:
– Senti muito a sua falta no domingo.
– Na semana passada ninguém veio aqui – ele disse.

Daí eu continuei a falar para ele:
– Perdoe-nos por qualquer falha. Você é tão precioso, nós o amamos tanto. Nós vamos ficar amando-o, ficar visitando-o, mas a igreja está crescendo tão rápido (a igreja era muito pequena na época), e nós precisamos de mais pessoas que vão nos ajudar a cuidar de outros. Agora você já cresceu. Você não é mais um bebê. Você já pode nos ajudar a fazer visitas e cuidar de outros.

Eu pensei que a ficha não tinha caído, e achava que na próxima semana eu tinha que dar outro sermão, até ele aprender. Quando chegou o final da visita, eu pensei: “Ele deve estar machucado conosco”. Isto porque eu realmente fui muito franco com ele. Com muito jeito, eu falei:
– Irmão, é o seguinte: você realmente é que deveria estar ajudando a fazer visitas. Você já não é mais um novo convertido tão novinho.



No final de nossa visita, eu falei assim:
– Semana que vem nós voltamos aqui, irmão.

Eu pensei que ele ficou ofendido, pois ele respondeu da seguinte maneira:
– Não quero que vocês voltem mais.

Aí eu pensei: “Ai, ai, ai …eu ofendi esse irmão”.
E para tentar amenizar a situação, eu fui dizendo:
– Não, irmão querido, nós vamos voltar, sim.

Mas ele retrucou:
– Não é preciso, pastor, porque agora estou entendendo. Você me explicou muito bem explicado. Eu é que vou fazer visitas, eu que vou ajudar a cuidar dos novos convertidos. 

Na próxima noite, aproximadamente às vinte e uma horas, eu estava na minha casa, quando alguém me disse que tinha um homem me chamando lá na frente da casa. Quando saí da minha casa para ver quem era, era justamente aquele irmão, ainda em cima da sua bicicleta, dizendo:
– Pastor, eu saí do meu trabalho e ainda nem voltei para a minha casa para tomar banho ou jantar. Eu fui direto de lá para visitar umas pessoas, e falei de Jesus para muitas delas. Elas disseram que vão para a igreja domingo. E eu só passei aqui para lhe dar o relatório. 

Aquele precioso irmão morava no outro lado da cidade, mas a motivação de cuidar de outros havia feito com que ele não medisse esforços para trabalhar para Jesus. Quantos crentes mimados poderão ser transformados em poderosos obreiros se nós pastores tirarmos do nosso tempo para amorosamente corrigi-los e ensiná-los.

Aquele irmão se tornou um dos nossos maiores obreiros, para a glória de Jesus. Ele passou a ganhar multidões, para a glória de Deus.

Extraído do Livro “O coração do Bom Pastor: Lições para cuidar bem das ovelhas de Jesus” – Abe Huber, Editora Premius, 2012.

3DLivroOCoracaodoBomPastor
Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.