Como fazer uma supervisão de célula bem-sucedida

evangelismo-celula-mda-770x470A supervisão precisa acontecer para que se obtenha resultado. Então, a primeira coisa importante para se ter uma supervisão bem-sucedida é ir para uma supervisão com um propósito e não apenas como um observador ou para “marcar presença”. É claro que o supervisor irá observar a célula em questão, entretanto, não é este o propósito.

Ao chegar a uma célula, o supervisor precisa assumir o papel de encorajador de quem está liderando o grupo, seja com palavras ou com expressões corporais. O essencial é que o grupo seja capaz de perceber que o supervisor apóia o líder.

Tão importante quanto, é o líder se sentir apoiado. O líder precisa sentir-se seguro quando o supervisor chega à célula. O papel do supervisor não é fazer com o que o líder pense que ele é um “fiscal” que está “fiscalizando” o que ele está fazendo, antes, ele precisa ter a certeza que o supervisor é está ali para servi-lo no que for necessário. Ou seja, ao invés da presença do supervisor gerar medo e preocupação no líder, deve gerar encorajamento.

Outro ponto de extrema importância é quando o supervisor tem a oportunidade de se expressar. É imprescindível que o supervisor tenha em mente que ele não está na célula para falar e, sim, para apoiar. Por isso, é preciso que ele evite falar. Ele precisa conter-se ao máximo, para falar o mínimo possível. Ele precisa estar focado em apoiar o líder da célula e motivar o grupo.

Em paralelo ao apoio ao líder, o supervisor também precisa estar atento em observar e anotar os pontos de melhoria de uma maneira discreta. Afinal, ele não está ali só como observador, ele precisará abordar os pontos de melhoria com o líder em uma ocasião propícia para que a supervisão gere resultado.

O supervisor precisa, muito discretamente, fazer pequenas anotações simples, de forma que ele se lembre do que se trata posteriormente e, no momento oportuno, que pode ser o discipulado da semana, por exemplo, os pontos de melhoria como líder possam ser abordados e tratados. Os pontos de melhoria de um líder podem ser: deixar outra pessoa monopolizar a reunião tirando o foco, ou ter centralizado toda a reunião em si mesmo, algo que se tenha falado que não seria conveniente ou que não se fazia necessário, enfim, tudo o que o supervisor acredite que o líder possa melhorar para as próximas reuniões.

Além de apoiar o líder e de anotar para tratar os pontos de melhoria do líder, o supervisor precisa, acima de tudo, avaliar como está o “DNA da visão” na célula que ele está supervisionando. Ou seja, o supervisor precisa avaliar se o líder está conduzindo a célula com o DNA correto.

Para avaliar esta questão é preciso que se leve em conta tudo o que envolve a visão como o discipulado, a multiplicação e comunhão, por exemplo. Resumindo, é preciso avaliar se tudo o que envolve a visão está sendo explorado na célula.

Uma boa estratégia é, ao término da célula, o supervisor pedir a palavra e elogiar o líder e informar aos irmãos que eles estão em boas mãos, além, é claro de dizer que aquela célula é uma bênção. Depois, pode-se fazer perguntas como:

1 – “Quem aqui ainda não está sendo discipulado?”
2 – “Por que você não está sendo discipulado?”
3 – “Quem ainda não fez ou não está fazendo o Curso de Treinamento que a Igreja oferece?”
4 – “Por que ainda não está fazendo o Curso?”
5 – “Quem ainda não foi ao Encontro com Deus?”
6 – “Por que você ainda não foi ao Encontro com Deus?”
7 – “Quem é o líder em treinamentos?”
8 – “Qual é a data da próxima multiplicação?”

Estas perguntas se fazem necessárias para que se avalie se o DNA da visão está sendo passado pelo líder, se ele está zelando pelo crescimento do grupo. Desta forma, o supervisor poderá avaliar se o líder está conduzindo a célula com o DNA correto ou não.

Vale lembrar que, se for identificado que o líder não tem falado sobre a visão e não tem estimulado o grupo a estar caminhando rumo ao crescimento e a multiplicação, não se indica que o supervisor “chame a atenção” do líder na hora. O correto é anotar como ponto de melhoria para que se trate do assunto posteriormente.

Estas são dicas poderosas para que uma supervisão de célula seja eficiente, eficaz e bem-sucedida, pois avalia o grupo como um todo, desde o seu DNA, dando ao líder o suporte necessário para ajustes e melhorias.

Sobre o autor: 
Bruno Monteiro, líder do Ministério Unção do Crescimento, em Maricá, Rio de Janeiro, o pastor Bruno Monteiro é também coordenador estadual da Visão MDA, além de escritor e conferencista.


Fonte: www.revistamda.com