Descubra como guardar o seu coração para a pessoa certa

relacionamento-770x470Se você se apaixonar por alguém, mas não for a pessoa certa, ou o tempo certo, você precisa aprender a guardar o seu coração. O pior é que a pessoa apaixonada parece que está nas nuvens… os pés não pisam no chão. Parece que só vê estrelinhas, coraçõezinhos, anda meio “lelé”. Olha só este versículo: “Quem pode entender o coração humano? Não há nada que engane tanto como ele, esta doente demais ser curado” (Jeremias 17:9) O coração é basicamente a mesma coisa dos nossos pensamentos e emoções, que muitas vezes nos enganam. Então, para guardar nosso coração temos que aprender a controlar os nosso pensamentos as nossas emoções.

Provérbios 4.23 diz: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida”. Este mesmo versículo na Nova tradução na Linguagem de Hoje é: “Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamento. Realmente, a sua vida é guiada pelos seus pensamento. você não pode liberar os seus pensamento sem restrições. Tem que ter este domínio próprio.

Mas como controlar os pensamentos quando você só pensa naquela pessoa?

Algumas sugestões:  O ideal é você falar tudo com seus pais. Eu me lembro de que falava tudo para  minha mãe. Nossos filhos sempre foram super abertos conosco. Procure por essa amizade com seus pais para poder conversar com eles. Às vezes, quando os seus pais não estão disponíveis, seja transparente com seu discipulador, então, ou com aquela pessoa espiritual com quem você pode se abrir e que vai orar “por” e “com” você. Evite falar com pessoas que só colocam mais “lenha na fogueira”. Quando você perceber que está pensando naquela pessoa toda hora, procure pensar em outra coisa, ouvir músicas de louvor e adoração, ou orar em línguas. Ao controlar os seus pensamento, você está guardando o coração.

livro-romancereal

Se você desejar saber mais sobre o assunto, clique na imagem e adquira nossos produtos.

Extraído do Livro “Romance Real” – Rebecca Hrubik, MDA Publicações, 2017.

 

, Artigos