Discipulando adolescentes

Sete dicas importantes na implantação do discipulado

1. Quem deve discipular?

O ideal é que os pais, cristãos (ou não) discipulem seus filhos adolescentes. Mesmo que o adolescente tenha outro discipulador, os pais devem ser sempre os discipuladores principais, mantendo um contato frequente com o discipulador e o líder da célula do adolescente.

discipulando -adolescentes-portal -mda

2. Quando o adolescente deseja ser discipulado por outra pessoa

Quando o adolescente manifestar o interesse de ter outro discipulador, seja o líder da célula ou outro, esse discipulado deve acontecer mediante aprovação dos pais. Neste caso, os pais devem manter um discipulado com seus filhos mais informal. Exemplo: saindo junto para um lanche, indo ao cinema, a um jogo de futebol, etc… Pais: Mostre interesse pela vida dele (a), converse, conheça seus sonhos, entenda seus filhos.

3. Fazendo um link com os pais

O discipulador deve manter os pais informados de como está indo o discipulado. Quando o discipulador achar necessário que assuntos do discipulado devem ser comunicados aos pais, e o discípulo concordar, é importante instruir o discípulo a primeiro procurar os pais e contar as dificuldades e problemas enfrentados. O discipulador deve deixar bem claro para o discípulo a importância da transparência e ler com ele Provérbios 28.13 “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”. Deve explicar que pecado escondido é alimento para o diabo.

4. De quem é a responsabilidade?

Atenção discipulador: Deixe bem claro aos pais que você está se dispondo a ajudar no que for possível; porém a responsabilidade principal é dos pais de: educar, corrigir, orar, incentivar e amar. Não permita que os pais transfiram as responsabilidades deles para você.

5. Sua liderança principal

O discipulador deve estimular o discípulo a conversar com os pais acerca de pecados cometidos. É importante confessar para que eles também possam ajudá-lo na rotina diária a vencer esses pecados. Desta forma o discipulador estará mostrando ao discípulo a autoridade de seus pais e a importância de vê-los como sua liderança principal (depois de Jesus). Agindo assim, o discipulador também ganhará a confiança dos pais, garantindo um crescimento saudável para seu discípulo. Esta regra aplica-se também quando os pais forem descrentes. Esta é uma ótima oportunidade para se relacionar com a família de seu discípulo (a), podendo assim ganhá-los para Cristo.

6. Cuidados importantes

O discipulado com adolescentes mais novos deve ser feito sempre que possível em local aberto mas que haja privacidade, onde outras pessoas, mesmo de longe possam estar vendo. Lembrando que homem discipula homem e mulher discipula mulher.

7. Adolescente pode discipular outro adolescente?

A depender da maturidade, um adolescente pode sim discipular outro adolescente. Isto deve acontecer debaixo da aprovação e supervisão dos pais, do líder da célula e de seus supervisores, mantendo sempre os cuidados acima destacados.

“Durante três anos tivemos o privilégio de liderar o trabalho com os adolescentes na Igreja da Paz de Fortaleza. Foi um tempo de aprendizado, onde pudemos conhecer suas lutas, seus sonhos, seus desafios. Vê-los hoje jovens, liderando, discipulando, pregando, tocando, cantando, etc…, é para nós uma imensa alegria e um sentimento, não de dever cumprido, mas de gratidão a Deus por contribuir com esse trabalho.”

996528_552617534798126_1936078354_nAnildo e Karla Lopes são pastores na Igreja da Paz, naturais de Santarém–Pará, pais de 3 filhos: Odlina, Tiago e Karolina. Desde 1996 servem ao Senhor na Igreja da Paz. Trabalhando nas células, tiveram um excelente crescimento em Santarém, sendo convidados em 2005 a fazer parte da equipe missionária liderada pelo Pr. Abe Huber, ajudando a fundar a Igreja da Paz em Fortaleza, Ceará. Atualmente, são pastores na Igreja da Paz em Juazeiro do Norte – CE.