Dica de Ilustração: O Ladrão de Biscoitos

Dicas de ilustraçãoCerta noite, uma senhora estava esperando o seu avião na sala de embarque de um aeroporto movimentado. Ela tomou um susto quando foi olhar o painel de partidas/departures: seu voo estava atrasado em várias horas, e não havia outro remédio a não ser aguardar. Mas então ela teve uma ideia: foi até a livraria do aeroporto e comprou um livro bem legal. Depois, passou na lanchonete e comprou um pacote de biscoitos integrais de 500 gramas, e procurou uma cadeira confortável para se abancar.

Ela estava muito concentrada no seu livro, mas conseguiu ver, pelo canto do olho, que o homem ao seu lado, na maior cara de pau, pegou um ou dois biscoitos do pacote aberto entre eles; ela tratou de ignorar a invasão, para evitar uma cena.

Ela lia, mastigava biscoitos, e observava o relógio, enquanto o guloso “ladrão de biscoito” esvaziava o pacote de biscoitos. À  proporção que os minutos se arrastavam, ela ia ficando cada vez mais nervosa, e pensando: “Se eu não fosse tão legal, esse sujeito ia ganhar um olho roxo aqui mesmo!”

Para cada biscoito que ela pegava, ele também pegava um. Quando só tinha um biscoito sobrando, ela ficou imaginando o que ele ia fazer agora. Com um sorriso meio nervoso no rosto, ele pegou o último biscoito e partiu ao meio.

O homem lhe ofereceu a metade do biscoito, enquanto comia a outra metade. Ela arrancou o meio biscoito da mão dele, e pensou: “Ai já é demais! Esse sujeito é mesmo abusado. E ainda por cima é rude; nem sequer agradeceu pelo assalto ao meu lanche!”

Ela não se lembrava de alguma vez ter sido tão provocada, e suspirou de alívio quando seu voo foi chamado para o embarque. Ela agarrou seus pertences, recusando-se a olhar para trás ou falar qualquer coisa para o “ingrato ladrão”.

Ela entrou no avião, afundou no seu assento, afivelou o cinto de segurança, e procurou pelo seu livro, que ainda estava nas primeiras páginas. Ao abrir sua bagagem de mão, ela ficou sem ar: Lá estava seu pacote de biscoitos, intacto, bem em frente aos seus olhos!

“Se o meu está aqui,” ela gemeu com desespero, “então o outro pacote era dele, e ele fez questão de compartilhar!” Tarde demais para se desculpar, ela descobriu, com pesar, que a rude, a ingrata, a ladrona tinha sido ela!

Revista MDA
Extraído da Revista MDA, Ano 1 – N° 01/2013 –Texto adaptado do livro a 3rd Serving of Chicken Soup for the Soul, de Jack Canfield e Mark Victor Hansen. Editora Backlist, LLC., 1996

, Quebra - Gelo